Problemas há na vida de todos. O que muda é o modo de enfrentá-los. A palavra-chave é superação. A seguir, histórias incríveis de quem virou o jogo, como o ex-lixeiro que levou medalha de ouro no Pan e um corredor com pernas artificiais

“Na verdade eu não tenho certeza da minha idade. Quando fui encontrado pela minha mãe no Iraque, num orfanato, eu não tinha certidão de nascimento.Nasci no meio de uma zona de guerra.  Eu e meu irmão fomos encontrados por freiras dentro de uma caixa de sapato. Levaram a gente para um orfanato. Ouvíamos tiros. Barulhos que não compreendíamos. Foi como se eu visse um anjo quando minha mãe, Moira Kelly, entrou no orfanato. Inicialmente, ela pagaria só nossas cirurgias, mas depois parece que ela se apaixonou pela gente. A minha mãe é a minha heroína. Ela trabalhou e se esforçou muito para mudar nossa vida. Algumas pessoas dizem que eu não tenho identidade, mas acredito que com a minha mãe vou conseguir fazer isso”, conta o iraquiano Emmanuel Kelly no programa “X Factory” – um tipo de “Ídolos” da Austrália –, antes de cantar “Imagine”, de John Lennon, e deixar os jurados e a plateia boquiabertos